segunda-feira, 5 de abril de 2010

CEPPAT - 2B - Música Renascentista e Barroca

Olá,
Para esta atividade vocês deverão pesquisar sobre a vida de um dos compositores da música Renascentista ou Barroca. Nesta pesquisa deve ter dados sobre a vida do artista e nome de alguma de suas obras, também um link de um vídeo com apresentação destas músicas. Para facilitar a vida de vocês segue uma lista com o nome dos principais compositores destes períodos.

Principais compositores renascentistas
William Byrd - 1542/ 1623
Josquin des Préz - 1440/1521
Palestrina - 1525/ 1594
Giovanni. Gabriel - 1555/  1612
Cláudio Monteverdi - 1567/ 1643

Principais compositores Barrocos
A Corelli - 1653/ 1713
A Scarlatti - 1660/ 1755
A Vivaldi - 1678/ 1741
D Scarlatti - 1685/ 1757
Henry Purcell - 1659/1695
George Philipp Telemann - 1681/1767
J. S. Bach - 1685/ 1750
J. F. Haendel - 1685/ 1759
Jean-Philippe Rameau - 1683/ 1764
José Antônio Carlos Seixas - 1704/ 1742

Para responder basta clicar em comentários e responder. Lembrem-se de colocar nome, n° e turma ao final do comentário. Observem o exemplo no primeiro comentário. Ah! Lógico que vale nota!
Prazo final para postagem 19/04/2010.

26 comentários:

Claudia Lobato disse...

Nome do Artista

Texto reumido sobre a vida do artista.
Nome de pelo menos duas obras.

url do vídeo da obra. (veja no Youtube!)

Nome, n e turma

Michelle Garcia disse...

Josquin des Préz - 1440/1521
era chamado de "Principe dos compositores", pelos musicos da sua época,eles admiravam sua obra e o modo que ele representava os sentidos das palavras no canto .Ele nasceu em Condé-sur-l'Escaut, Hainaut. Fez sua carreira na Itália onde morou de 1459 a 1505.Em 1474 ja aparece como mestre de capela particular do duque Galeazzo Maria Sforza,em Milão.Mais tarde em Roma,entra para o serviço do papa Sisto IV, até o ano de 1499.Tornando a Milão, transferiu-se em seguida para Ferrara , contratado por Hércules I d'Este.Depois em 1505 trabalhou para o Rei Luis XII.Ele faleceu quando era prior da igreja de Notre Dame, em Condé, sua cidade natal.É considerado o mais moderno entre a sua época.Sua produção musical compreende mais de 20 missas completas a 4, 5 e 6 vozes; 104 motetos, hinos e salmos, 74 canções.Entre suas obras religi
osas mais conhecidas estão as missa Hercules dux Ferrarie, o moteto Miserere e, principalmente, as duas últimas missas compostas depois de 1505, De Beata Virgine e Pange Lingua.
Video:http://www.youtube.com/watch?v=pI5s4GCddYE .

Henry Purcell - 1659/1695
Nasceu em Londres Inglaterra , filho de musicos logo entrou para o coro da capela Real,onde começou a estudar composição.Em 1673 foi nomeado conservador dos instrumentos da corte que o ajudou a ter o trabalho de copista afinador e reparador de orgãos.Em 1681, Purcell casou-se e, no ano seguinte foi nomeado organista da Capela Real .O ano de 1683 foi muito importante para Purcell: sua primeira série de sonatas a trio foi publicada e o compositor foi nomeado para o cargo de construtor dos órgãos reais.No ano de 1689 escreveu sua única ópera autêntica, Dido e Enéias, representada no Josias Priest's, um colégio de meninas em Chelsea.Apartir de 1690 ompôs regularmente obras cênicas com importantes episódios musicais à maneira das mascaradas. As mais importantes são: Diocleciano (1690), O Rei Artur (1691), A Rainha das Fadas (1692) e A Rainha Indiana (1695). Purcell escreveu, durante estes anos, música de acompanhamento para peças teatrais.É autor de vastíssima obra religiosa, peças de circunstância, coro, hinos, óperas e música de cena. Compôs também odes e cantatas dedicadas aos reis Carlos II e Jaime II, bem como à rainha Maria: Sound the Trumpet (1687); odes à Santa Cecília; música instrumental (Musick's Hand Maid; para cravo, As Lições; para órgão, Voluntaries; para cordas, Fantasias; sonatas a três e quatro partes).
video : http://www.youtube.com/watch?v=laO1mI6hJ40

Michelle Garcia Nº26 2ºB

Jihad disse...

Henry Purcell compositor barroco



Henry Purcell (Londres, 10 de setembro de 1659 – 21 de novembro de 1695) foi um compositor britânico. Apesar de uma vida relativamente breve, Henry Purcell permanece um dos mais importantes compositores ingleses. Sua facilidade em compor para todos os gêneros e públicos, sua popularidade na corte durante reinados de três monarcas e sua vasta produção de odes cortesãs, música cênica, anthems' sacros, canções e catches seculares, música de câmara e voluntaries para órgão são uma prova clara de seu prodigioso talento.

Compôs as óperas Dido and Aeneas e A tempestade. São famosas suas Lições para cravo, suas Odes, Hinos, composições religiosas e bem assim, sonatas e fantasias para viola

Purcell nasceu em St Ann's Lane, Old Pye Street, Westminster, filho de Henry Purcell Senior, que era cantor na Chapel Royal, e irmão mais velho de Thomas Purcell (†. 1682 que era também musico), Edward, Henry e Daniel (†. 1717), que foi igualmente um prolífico compositor e quem escreveu muita da música para o acto final de The Indian Queen após a morte de Henry Purcell.

http://www.youtube.com/watch?v=L5-3clJhnTk

Nome: Jihad Nage Nº11 2ºB

karlinha disse...

WILLIAM BYRD

Compositor inglês, nasceu em Londres (?) em 1542 ou em 1543 e faleceu a 4 de julho de 1623 em Stondon Massey, Essex. Filho de um músico, teve como professor Thomas Tallis. Tornou-se organista da Lincoln Cathedral em 1563, cantor do coro da Capela Real em 1570, e em 1575 recebeu o título de Organista da Capela Reall.
Ligada à tradição polifônica do século XVI, sua obra se destaca graças às sua variações para o virginal, canções, motetos e hinos. É o mais representativo dos compositores da Renascença inglesa. É considerado o maior compositor de contraponto de sua época na Inglaterra, chamado de "o Palestrina Inglês". Foi o primeiro compositor inglês a escrever madrigais, forma de composição originária na Itália no século XIII e que alcançou maior desenvolvimento nas mãos dos mestres do século XVI. Organista e exímio executante do virginal, Byrd escreveu para este último, grande número de composições, muitas das quais ainda são tocadas hoje em dia.
Byrd também exerceu importante atividade no ramo das edições. Em 1607 publicou uma coleção de gradualia para um ano eclesiástico inteiro. Uma moderna edição deste álbum foi publicada em 1899. Em 1611 aparece a primeira edição de "Psalms, Songs and Sonnets, Some Solemn, Others Joyful, Framed to the Life of the Words, Fit for Voyces or Viols, etc." Provavelmente neste mesmo ano é publicada "Parthenia", uma coleção de peças para o virginal, que compreende 21 composições de Byrd, Bull e Gibbons. Três missas - para três, quatro e cinco vozes, respectivamente - pertencem ao melhor período de Byrd como compositor. A missa para cinco vozes foi reeditada pela Musical Antiquarian Society em 1841, e em 1899 o mesmo trabalho foi editada por Breitkopf e Hartel. Dois de seus motetos, "Domine, ne irascaris" e "Civitas sancti tui", com textos ingleses, fazem parte do repertório da maioria das catedrais Anglicanas.

Video: http://www.youtube.com/watch?v=30UfjAucDsA


Nome:Karla S. Cerealli n° 14
Turma:2°B

Carina disse...

Claudio Monteverdi-compositor renascentista

Cremona, 15 de maio de 1567 – Veneza, 29 de novembro de 1643) foi um compositor italiano. Foi o responsável pela transição entre a tradição polifônica do século XVI para o nascimento da ópera, do século XVI.

Iniciou seus estudos de música com Marco Antonio Igegnieri, maestro da capela da Catedral de Cremona e aos 15 anos publicou suas primeiras obras, entre elas, oito livros de madrigais.

Em 1599 desposou Cláudia de Cataneis e em 1607 ocorre a estréia de La Favola d’Orfeo, sua primeira ópera - e também a mais antiga da história cuja música e o texto chegaram até os dias atuais. Outras de suas óperas ainda hoje representadas são L’Incoronazione di Poppea e Il Ritorno d’Ulisse in Patria. Monteverdi é geralmente conhecido como o “pai da ópera”.

Em 1613, Monteverdi foi maestro do coro e diretor da catedral de São Marcos, em Veneza.

Monteverdi também se notabilizou pela música sacra, como sua Missa (1610) e antífonas. Em 1640 é publicada a série “Selva morale e spirituale”, um grande compêndio de música sacra.

Nas músicas de Monteverdi pode notar-se um começo bastante polifónico e uma regressão da música até ao estilo monódico.

video.
http://www.youtube.com/watch?v=yxBT1pfVAKQ

Aluna: Carina Espanho 2°B Nº 04

Otavio disse...

William Byrd (1542 - 1623)

Compositor inglês, nasceu em Londres (?) em 1542 ou em 1543 e faleceu a 4 de julho de 1623 em Stondon Massey, Essex. Filho de um músico, teve como professor Thomas Tallis. Tornou-se organista da Lincoln Cathedral em 1563, cantor do coro da Capela Real em 1570, e em 1575 recebeu o título de Organista da Capela Reall.

Ligada à tradição polifônica do século XVI, sua obra se destaca graças às sua variações para o virginal, canções, motetos e hinos. É o mais representativo dos compositores da Renascença inglesa. É considerado o maior compositor de contraponto de sua época na Inglaterra, chamado de "o Palestrina Inglês". Foi o primeiro compositor inglês a escrever madrigais, forma de composição originária na Itália no século XIII e que alcançou maior desenvolvimento nas mãos dos mestres do século XVI. Organista e exímio executante do virginal, Byrd escreveu para este último, grande número de composições, muitas das quais ainda são tocadas hoje em dia.

Byrd também exerceu importante atividade no ramo das edições. Em 1607 publicou uma coleção de gradualia para um ano eclesiástico inteiro. Uma moderna edição deste álbum foi publicada em 1899. Em 1611 aparece a primeira edição de "Psalms, Songs and Sonnets, Some Solemn, Others Joyful, Framed to the Life of the Words, Fit for Voyces or Viols, etc." Provavelmente neste mesmo ano é publicada "Parthenia", uma coleção de peças para o virginal, que compreende 21 composições de Byrd, Bull e Gibbons. Três missas - para três, quatro e cinco vozes, respectivamente - pertencem ao melhor período de Byrd como compositor. A missa para cinco vozes foi reeditada pela Musical Antiquarian Society em 1841, e em 1899 o mesmo trabalho foi editada por Breitkopf e Hartel. Dois de seus motetos, "Domine, ne irascaris" e "Civitas sancti tui", com textos ingleses, fazem parte do repertório da maioria das catedrais Anglicanas.

VIDEO:http://www.youtube.com/watch?v=j8iYTvz89hc

OBRAS:"Domine, ne irascaris" e "Civitas sancti tui".

ALUNO: OTAVIO PACHECO N°27 2°B

Anônimo disse...

William Byrd

Compositor inglês, nasceu em Londres (?) em 1542 ou em 1543 e faleceu a 4 de julho de 1623 em Stondon Massey, Essex. Filho de um músico, teve como professor Thomas Tallis. Tornou-se organista da Lincoln Cathedral em 1563, cantor do coro da Capela Real em 1570, e em 1575 recebeu o título de Organista da Capela Reall.

Ligada à tradição polifônica do século XVI, sua obra se destaca graças às sua variações para o virginal, canções, motetos e hinos. É o mais representativo dos compositores da Renascença inglesa. É considerado o maior compositor de contraponto de sua época na Inglaterra, chamado de "o Palestrina Inglês". Foi o primeiro compositor inglês a escrever madrigais, forma de composição originária na Itália no século XIII e que alcançou maior desenvolvimento nas mãos dos mestres do século XVI. Organista e exímio executante do virginal, Byrd escreveu para este último, grande número de composições, muitas das quais ainda são tocadas hoje em dia.

Byrd também exerceu importante atividade no ramo das edições. Em 1607 publicou uma coleção de gradualia para um ano eclesiástico inteiro. Uma moderna edição deste álbum foi publicada em 1899. Em 1611 aparece a primeira edição de "Psalms, Songs and Sonnets, Some Solemn, Others Joyful, Framed to the Life of the Words, Fit for Voyces or Viols, etc." Provavelmente neste mesmo ano é publicada "Parthenia", uma coleção de peças para o virginal, que compreende 21 composições de Byrd, Bull e Gibbons. Três missas - para três, quatro e cinco vozes, respectivamente - pertencem ao melhor período de Byrd como compositor. A missa para cinco vozes foi reeditada pela Musical Antiquarian Society em 1841, e em 1899 o mesmo trabalho foi editada por Breitkopf e Hartel. Dois de seus motetos, "Domine, ne irascaris" e "Civitas sancti tui", com textos ingleses, fazem parte do repertório da maioria das catedrais Anglicanas.

VIDEO : William Byrd: Ave verum corpus / The Tallis ...
4 min 2 seg - 18 set. 2007
www.youtube.com

OBRA :Cantamos o Natal . - Musica e letra tradicional inglesa - É um canto de Selden datado de 1450. Trata-se de canto litúrgico.

NOME : SABRINA MARQUES Nº : 32 SÉRIE : 2ºB

Bruna Thayse disse...

Claudio Monteverdi

Bernardo Strozzi: Retrato de Claudio Monteverdi, 1640. Galleria dell'AccademiaClaudio Monteverdi (Cremona, batizado em 15 de maio de 1567 — Veneza, 29 de novembro de 1643) foi um compositor, cantor e violista italiano.

Desenvolveu sua carreira principal entre Mântua e Veneza. Foi um dos responsáveis pela passagem da tradição polifónica do Renascimento para um estilo mais livre, dramático e dissonante, baseado na monodia e nas convenções do baixo contínuo e da harmonia vertical, que se tornaram as características centrais da música do período seguinte, o Barroco. É considerado o último grande madrigalista, certamente o maior compositor italiano de sua geração, um dos grandes operistas de todos os tempos e uma das personalidades mais influentes de toda a história da música do ocidente. Não inventou nada novo, mas sua estatura deriva de ter empregado recursos existentes com uma força e eficiência sem paralelos em sua geração, e integrado diferentes práticas e estilos em uma obra pessoal rica, variada e muito expressiva, que continua a ter um apelo direto para o mundo contemporâneo ainda que ele não seja exatamente um compositor popular nos dias de hoje.
Obras sacras
1582 (Veneza): Sacrae Cantiunculae tribus vocibus Claudini Montisviridi cremonensis Egregii Ingegnerii Discpuli. Liber Primus. Venetiis: Apud Angelus Gardanum, MDLXXXII.
1583 (Brescia): Madrigali spirituali a quattro voci posti in musica da Claudio Monteverde Cremonese, discepolo del Signor Marc'Antonio Ingegneri.

http://www.youtube.com/watch?v=tRLPo_u4xEc
Aluna:Bruna thayse G.Ramalho
n°03 Série;2b EMD

Anônimo disse...

Antonio vivaldi 1678/1741 Barroca
Filho de Camila Calicchio e Giovanni Battista Vivaldi , era o mais velho de sete irmãos. Seu pai, um barbeiro, mas também um talentoso violinista alguns chegam a considerá-lo como um virtuoso, ajudou-o a iniciar uma carreira no mundo da música, matriculando-o ainda pequeno, na Capela Ducal de São Marcos para aperfeiçoar seus conhecimentos musicais e foi responsável pela sua admissão na orquestra da Basílica de São Marcos, onde se tornou o maior violinista do seu tempo. Em 1703, Vivaldi tornou-se padre. Em 1704, foi-lhe dada dispensa da celebração da Santa Eucaristia devido à sua saúde fragilizada (aparentemente sofreria de asma), tendo-se voltado para o ensino de violino num orfanato de moças chamado Ospedale della Pietà em Veneza. Pouco tempo após a sua iniciação nestas novas funções, as crianças ganharam-lhe apreço e estima; Vivaldi compôs para elas a maioria dos seus concertos, cantatas e músicas sagradas. Em 1705 a primeira colecção dos seus trabalhos foi publicada. Muitos outros se lhe seguiram. No orfanato, desempenhou diversos cargos interrompidos apenas pelas suas muitas viagens. Em 1712 compôs o "Estro armonico", uma coleção de 12 concertos que repercutiu em toda a Europa e mais tarde teve seis obras transcritas por Bach, em 1713, tornou-se responsável pelas actividades musicais da instituição. Em paralelo com suas atividades sacras, Vivaldi obteve permissão para apresentar no teatro de Santo Ângelo suas primeiras óperas e alguns concertos: "Outtone in villa" e "Orlando Furioso" e entre outros concertos. Em 1723 publicou o Opus 8, que contém "As Quatro Estações", sua obra mais conhecida.
Apesar do seu estatuto de sacerdote, é suposto ter tido vários casos amorosos,[carece de fontes um dos quais com uma de suas alunas, a cantora Anna GiraudConcertos: Há divergências sobre o número exato de concertos compostos por Vivaldi. Algumas publicações contam 550 concertos compostos por ele. Em outras publicações, cita-se 477 concertos e outros ainda 456. Seus concertos mais conhecidos e divulgados são Le quattro stagioni com quem Vivaldi era suspeito de manter uma menos clara actividade comercial nas velhas óperas venezianas, adaptando-as apenas ligeiramente às capacidades vocais da sua amante. Este negócio causou-lhe alguns dissabores com outros músicos, como Benedetto Marcello, que terá escrito um panfleto contra ele
http://www.youtube.com/watch?v=laO1mI6hJ40
aluna:jeane cristina N:10 Serie:2B

Lucas Fadelli disse...

José Antônio Carlos Seixas - 1704/ 1742

Filho de Francisco Vaz e de Marcelina Nunes, Carlos Seixas estudou com o pai e cedo o substituiu como organista da Sé de Coimbra, cargo de grande responsabilidade que exerceu durante dois anos. Aos 16 anos partiu para Lisboa, altura em que a corte portuguesa era das mais dispendiosas da Europa. Foi muito solicitado como professor de música de famílias nobres da corte, nomeado organista da Sé Patriarcal e da Capela Real (sendo o Mestre desta Domenico Scarlatti estabeleceram certamente colaborações proveitosas). Carlos Seixas gozava da fama de ser músico e professor excelente. Na capital impôs-se como organista, cravista e compositor. Com o seu trabalho sustentou a mulher, que desposara aos 28 anos, e os cinco filhos, dois filhos e três filhas, e adquiriu algumas casas nas vizinhanças da Sé. Carlos Seixas morreu a 25 de Agosto de 1742, de febre reumática, já sendo Mestre da Capela Real. Obras Dixit e Dominus
Ketil Haugsand e a Orquestra Barroca Norueguesa

http://www.youtube.com/watch?v=SwB5D7T57M0

NOME: LUCAS F. S. FADELLI Nº15 2°B

Paulo disse...

George Philipp Telemann, foi um compositor e músico alemão. Já aos dez anos, Telemann sabia tocar vários instrumentos e escrevia diversas obras. Aos 21 anos, tornou-se diretor musical da ópera de Leipzig e aos 23 tornou-se organista de uma igreja.
Teleman publicou a maior parte de sua música, em especial UM GRUPO DE 72 CANTADAS e OS TRÊS GRUPOS DE MUSIQUE DE TABLE, que são suas obras mais famosas, cada qual incluindo um concerto, uma suíte e várias peças de câmara. Durante sua vida, dedicou-se para que a música fosse difundida e também publicou diversas obras de caráter didático, tendo como temas a ornamentação, o baixo cifrado, entre outros.
Teleman foi o compositor mais famoso da Alemanha, pois compôs em todas as formas e estilos existentes em sua época. Em qualquer estilo, sua música tem um caráter inconfundível, sendo clara e fluindo levemente. Apesar de de ser apenas quatro anos mais velho do que seus contemporâneos Bach e Haendel, utilizou um estilo muito mais avançado e pode ser considerado um precursor do estilo musical clássico. Entre os diversos gêneros musicais que compôs, destacam-se a sua Música vocal sacra, sendo notável o extraordinário número de cantatas (aproximadamente 1700), a Música vocal secular, dentre as quais figuram nove óperas, a Música orquestral, a Música de câmara e a Música para teclado.

Video: http://www.youtube.com/watch?v=fobX_lwJJzY

Paulo Fechio de Lima N28 2Ano B

melanye disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
melanye disse...

Giovanni Pierluigi Palestrina

Palestrina passou a vida a serviço da Igreja. Em Roma, cantou no coro da capela Sistina, dirigiu o coro da Capela Giulia e foi maestro do coro das igrejas de São João Latrão e Santa Maria Maggiore. Em 1567, passou a fazer parte do conjunto de músicos do Cardeal Ipplito II d’Este, em Tivoli, mas cinco anos depois voltou à Capela Giulia, como maestro do coro, permanecendo ali pelo resto de sua vida. Logo após a morte de sua primeira esposa em 1581, casou-se com uma viúva rica e assumiu o comércio de peles do falecido marido dela, transformando-o num excelente negócio.
Palestrina é o melhor de todos os compositores do estilo coral polifônico da Igreja Católica Romana. Suas linhas vocais longas e sinuosas parecem se entrelaçar e colear pela igreja, arrebatando a congregação inteira para uma atmosfera de oração. A beleza da música é um prazer garantido até mesmo para os não-crentes; aqueles que são capazes de penetrar nela e partilhar seu sentido devocional vão descobri-lá coroada de emoção, intensa e espiritual de uma forma que muitos poucas outras obras eclesiásticas sequer começam a igualar.
Conta-se que Palestrina teria salvo a música sacra polifônica quando os bispos e prelados, reunidos no Concílio de Tentro, que pretenderam expulsá-la das igrejas, nas quais seria permitido apenas o canto gregoriano. Palestrina, então, apresentou-lhes um novo estilo, digno e elevado e sem sutilezas contrapontísticas capazes de atrapalhar o bom entendimento das palavras do texto litúrgico. Este estilo de música contrapontística mais serena passou a ser conhecido como "estilo Palestrina".
A produção musical de Palestrina é considerável: 104 missas, de quatro a oito vozes, escritas com temas gregorianos ou populares; 375 motetos, 68 ofertórios, 65 hinos, 35 magnificats, cinco lamentações, 56 madrigais espirituais e nove ricercari, para órgão. No gênero da música profana, deixou três coletâneas de madrigais publicadas em 1555, 1581 e 1586.
http://www.youtube.com/watch

Anônimo disse...

Josquin des Prez, Després, ou Deprés

Josquin des Prés era chamado de "Príncipe dos Compositores", pelos músicos de sua época, que admiravam sua obra naquilo que esta tinha de comovedor e o modo de como ele ressaltava o sentido das palavras no canto.

Josquin des Prés nasceu em Condé-sur-l'Escaut, Hainaut, província pertencente aos Países Baixos. Como a maior parte de seus contemporâneos, fez carreira na Itália, onde morou quase ininterruptamente de 1459 a 1505. Em 1474 já aparece como mestre de capela particular do duque Galeazzo Maria Sforza, em Milão. Mais tarde, em Roma, entra para o serviço do papa Sisto IV, até o ano de 1499.

Retornando a Milão, transferiu-se em seguida para Ferrara (1501 a 1505), contratado por Hércules I d'Este.

Depois de 1505, seu novo lugar de trabalho é a corte do rei Luís XII. Há traços de sua passagem pelos Países Baixos, sabendo-se que faleceu quando era prior da igreja de Notre Dame, em Condé, sua cidade natal.

Grande compositor, é considerado o mais moderno dentre os de sua época. Sua produção musical compreende mais de 20 missas completas a 4, 5 e 6 vozes; 104 motetos, hinos e salmos, 74 canções.

Entre suas obras religiosas mais conhecidas estão as missa Hercules dux Ferrarie, o moteto Miserere e, principalmente, as duas últimas missas compostas depois de 1505, De Beata Virgine e Pange Lingua.

video:http://www.youtube.com/watch?v=rsX-T2gEM7g
Nome:Danieli Barbosa N°05 2°B

amanda disse...

Fazendo Música Com Copos D'água
http://www.youtube.com/watch?v=qnti6QCQFGg
O Homem faz musica com copos de agua
Nosso comentario é que achamos muito legal porque é bem diferente.

Amanda Carina Nalin N°05
Amanda Rodrigues Braga N°07
3°C
Pedro II.

amanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gleissy =* disse...

José Antônio Carlos Seixa
1704/ 1742

Organista, cravista e compositor português. Nasceu no dia 11 de junho de 1704, em Coimbra e faleceu precocemente, aos 38 anos, em Lisboa, no dia 25 de agosto de 1742 de febre reumática. Seu pai, Francisco Vaz, organista da Catedral de Coimbra, foi seu primeiro professor. Ocupou o posto de organista por dois anos, após a morte de seu pai e, graças ao seu talento e grande desenvolvimento musical, ocupou o cargo de organista na Catedral de Lisboa. Carlos Seixas estava com apenas 16 anos. Em Lisboa tornou-se amigo de Domenico Scarllatti, Mestre de Capela Real, que considerava Carlos Seixas o melhor professor de cravo já visto. Alguns anos depois, o jovem compositor foi nomeado Vice Mestre de Capela Real. Sua obra é composta, em grande parte, de peças para instrumentos de teclado, chamadas de tocatas ou sonatas. É autor de cerca de 700 tocatas para cravo, das quais somente 105 chegaram até nossos dias. Deixou ainda minuetos e fugas para órgão, clavicórdio e cravo, um concerto para cravo e acompanhamento de cordas, duas aberturas para orquestra e algumas obras religiosas. É considerado o maior compositor português de música para instrumento de teclado. A obra de Seixas é, em grande parte, resultado dos ambientes em que compôs. Como organista da Capela da Sé Patriarcal tinha a possibilidade de tocar, antes e depois da missa, um trecho a solo que poderia ser uma tocata ou uma sonata (ritual comum em todas as catedrais de prática Católica). Para este efeito, havia uma preferência pelas peças de carácter vistoso e brilhante. Noutras partes da cerimônia, o organista podia ainda tocar em alturas que admitissem um solo instrumental. Carlos Seixas gozava da fama de ser músico e professor excelente. Na capital impôs-se como organista, cravista e compositor. Com o seu trabalho sustentou a mulher, que desposara aos 28 anos, e os cinco filhos, dois filhos e três filhas, e adquiriu algumas casas nas vizinhanças da Sé. Já sendo Mestre da Capela Real.

Obras
Dixit e Dominus
Ketil Haugsand e a Orquestra Barroca Norueguesa

Algumas de suas Discografias:
• Keitil Haugsand; Norwegian Baroque Orchestra; Concerto para cravo em Lá, Sinfonia em Sib, Sonatas para cravo; VirginVeritas.
• Keitil Haugsand; Norwegian Baroque Orchestra; Missa, Dixit Dominus, Tamtum Ergo, Sonatas para órgão; VirginVeritas.
• János Sebestyén; János Rolla; Orquestra de Câmara Ferenc List; Concerto para cravo em Lá, Sinfonia em Sib, Abertura em Ré, Concerto em Sol (atribuído); Strauss/PortugalSom. * Rui Paiva; 12 sonatas para cravo; Philips...

VIDEO RELACIONADO:
http://www.youtube.com/watch?v=hy7WfgqQiio

Gleissy Kelly =* disse...

José Antônio Carlos Seixa
1704/ 1742

Organista, cravista e compositor português. Nasceu no dia 11 de junho de 1704, em Coimbra e faleceu precocemente, aos 38 anos, em Lisboa, no dia 25 de agosto de 1742 de febre reumática. Seu pai, Francisco Vaz, organista da Catedral de Coimbra, foi seu primeiro professor. Ocupou o posto de organista por dois anos, após a morte de seu pai e, graças ao seu talento e grande desenvolvimento musical, ocupou o cargo de organista na Catedral de Lisboa. Carlos Seixas estava com apenas 16 anos. Em Lisboa tornou-se amigo de Domenico Scarllatti, Mestre de Capela Real, que considerava Carlos Seixas o melhor professor de cravo já visto. Alguns anos depois, o jovem compositor foi nomeado Vice Mestre de Capela Real. Sua obra é composta, em grande parte, de peças para instrumentos de teclado, chamadas de tocatas ou sonatas. É autor de cerca de 700 tocatas para cravo, das quais somente 105 chegaram até nossos dias. Deixou ainda minuetos e fugas para órgão, clavicórdio e cravo, um concerto para cravo e acompanhamento de cordas, duas aberturas para orquestra e algumas obras religiosas. É considerado o maior compositor português de música para instrumento de teclado. A obra de Seixas é, em grande parte, resultado dos ambientes em que compôs. Como organista da Capela da Sé Patriarcal tinha a possibilidade de tocar, antes e depois da missa, um trecho a solo que poderia ser uma tocata ou uma sonata (ritual comum em todas as catedrais de prática Católica). Para este efeito, havia uma preferência pelas peças de carácter vistoso e brilhante. Noutras partes da cerimônia, o organista podia ainda tocar em alturas que admitissem um solo instrumental. Carlos Seixas gozava da fama de ser músico e professor excelente. Na capital impôs-se como organista, cravista e compositor. Com o seu trabalho sustentou a mulher, que desposara aos 28 anos, e os cinco filhos, dois filhos e três filhas, e adquiriu algumas casas nas vizinhanças da Sé. Já sendo Mestre da Capela Real.

Obras:

Dixit e Dominus
Ketil Haugsand e a Orquestra Barroca Norueguesa

Algumas de suas Discografias:

• Keitil Haugsand; Norwegian Baroque Orchestra; Concerto para cravo em Lá, Sinfonia em Sib, Sonatas para cravo; VirginVeritas.
• Keitil Haugsand; Norwegian Baroque Orchestra; Missa, Dixit Dominus, Tamtum Ergo, Sonatas para órgão; VirginVeritas.
• János Sebestyén; János Rolla; Orquestra de Câmara Ferenc List; Concerto para cravo em Lá, Sinfonia em Sib, Abertura em Ré, Concerto em Sol (atribuído); Strauss/PortugalSom. * Rui Paiva; 12 sonatas para cravo; Philips...

VIDEO RELACIONADO:

http://www.youtube.com/watch?v=hy7WfgqQiio

Aluna:Gleissy Kelly N°09 2°b

thais disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Jean-Philippe Rameau - 1683/ 1764

Jean-Philippe Rameau (Dijon, 25 de Setembro de 1682 — Paris, 12 de Setembro de 1764). Filho de organista na catedral de Dijon, distinguiu-se, desde cedo, como organista e com especial talento para a composição musical à qual sempre deu atenção especial quanto a sua estrutura lógica, evidenciando também seu talento para a Matemática, muito embora não tenha contribuído para seu desenvolvimento como tal. Não foi apenas um compositor francês mais importante do século XVIII, como também influenciou a teoria musical. Seu estilo de composição lírica pôs fim ao reinado póstumo de Jean-Baptiste Lully, cujo modelo fora seguido por meio século. Também cravista e organista, Rameau escreveu diversas peças para teclado. Suas obras ricamente ornamentadas destacam-se como a síntese do estilo rococó.
Até 1722 Rameau compusera apenas poucas e curtas peças para teclado e obras sacras, mas a publicação de seu tratado sobre harmonia naquele ano marcou o começo de um período produtivo. Suas Pièces de Clavecin foram publicadas em 1724, seguidas por um novo livro de teoria, em 1726, e séries de obras para teclado e cantatas, em 1729. Aos cinquenta anos compôs sua primeira ópera, Hippolyte et Aricie, que agradou a Luís XV, prporcionando-lhe várias encomendas reais. Sua música caracteriza-se por um dinamismo musical que contrasta com o estilo mais estático de Jean-Baptiste Lully - Voltaire certa vez chamou Rameau de "nosso herói das semicolcheias". Foi enquanto organista em Clermont-Ferrand que ele escreveu seu famoso tratado de harmonia. Era também muito conhecido como professor de cravo, bastante em moda na Paris de sua época. A técnica da dedilhação dos instrumentos de teclado deve muito a Rameau e só foi modificada por Johann Sebastian Bach, seu contemporâneo, com o uso mais efetivo do polegar. Escreveu várias óperas, dentre as quais Hippolyte et Aricie, peças para teclado em geral e dominava com perfeição a orquestração, como se evidencia em Castor et Pollux (1737). No final de sua vida, tornou-se "compositor do rei". Ao falecer, teve todas as honras da nobreza e funeral público com grande pompa.


Obras:Pièces de Clavecin, Pièces de Clavecin en Concert e Hippolyte ed Aricie

Video:http://www.youtube.com/watch?v=_HZl0qHUbJc&feature=related


Nome:Thais Umbelino Silva n°:33 serie:2°B

Rosy Gask disse...

Giovanni Pierluigi da Palestrina

Foi um compositor italiano da renascença. Ele era o mais famoso no século XVI, representante da Escola romana. Palestrina teve uma grande influência sobre o desenvolvimento da música sacra na Igreja Católica Romana.
Nasceu no ano de 1525, em Palestrina, no norte de Roma, e desde cedo estudou música. Em 1537 era menino de coro da igreja de Santa Maria Maggiore, em Roma, e nessa cidade estudou até 1540. Depois, voltou à sua cidade natal para aí ser mestre do coro da cidade. Mas entretanto, em 1550 Júlio II é eleito papa, e Palestrina é chamado a Roma para ser mestre da Capella Giulia. Um ano depois, publica o seu primeiro livro de Missas, mas em 1555 Júlio II morre e Palestrina é demitido por ser casado. Então, Palestrina sucede a Roland de Lassus como mestre de capela de São João de Latrão., e em 1561 torna a Santa Maria Maggiore. Em 1567 entra ao serviço do cardeal Ipolito d'Este, e torna-se diretor da Capela Sistina em 1571. Após a morte da sua mulher, casou com a filha de um rico comerciante de peles, e enriquece ao entrar no ramo, o que lhe permitiu publicar a sua obra até ao fim da sua vida.
Palestrina também compôs diversos madrigais profanos, com o a canção "L´homme armé" (que curiosamente fez parte de uma missa), mas é na música religiosa que Palestrina ocupa maior destaca. Não tendo a inventividade de um Byrd, ou muitos outros compositores da época, Palestrina é porem considerado o exemplo mais polido e perfeito da polifonia renascentista, e o rigor formal das suas obras e a beleza da sua polifonia dão às sua obras um encanto divino, sem no entanto estas intricadas estruturas retirarem a inteligibilidade do texto posto em música, geralmente o ordinário da missa em latim, algo extremamente importante para a eficiência de uma missa cantada, aliás uma das regras definidas pelo Concilio de Trento como regra para a música sacra.
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=lIhwYVw6P4E&feature=related

Nome: Rosiane Gasques de Oliveira Nº: 31 Série: 2ºB

luiz henrique teixeira disse...

William Byrd
Compositor inglês, nasceu em Londres (?) em 1542 ou em 1543 e faleceu a 4 de julho de 1623 em Stondon Massey, Essex. Filho de um músico, teve como professor Thomas Tallis. Tornou-se organista da Lincoln Cathedral em 1563, cantor do coro da Capela Real em 1570, e em 1575 recebeu o título de Organista da Capela Reall.

Ligada à tradição polifônica do século XVI, sua obra se destaca graças às sua variações para o virginal, canções, motetos e hinos. É o mais representativo dos compositores da Renascença inglesa. É considerado o maior compositor de contraponto de sua época na Inglaterra, chamado de "o Palestrina Inglês". Foi o primeiro compositor inglês a escrever madrigais, forma de composição originária na Itália no século XIII e que alcançou maior desenvolvimento nas mãos dos mestres do século XVI. Organista e exímio executante do virginal, Byrd escreveu para este último, grande número de composições, muitas das quais ainda são tocadas hoje em dia.

Byrd também exerceu importante atividade no ramo das edições. Em 1607 publicou uma coleção de gradualia para um ano eclesiástico inteiro. Uma moderna edição deste álbum foi publicada em 1899. Em 1611 aparece a primeira edição de "Psalms, Songs and Sonnets, Some Solemn, Others Joyful, Framed to the Life of the Words, Fit for Voyces or Viols, etc." Provavelmente neste mesmo ano é publicada "Parthenia", uma coleção de peças para o virginal, que compreende 21 composições de Byrd, Bull e Gibbons. Três missas - para três, quatro e cinco vozes, respectivamente - pertencem ao melhor período de Byrd como compositor. A missa para cinco vozes foi reeditada pela Musical Antiquarian Society em 1841, e em 1899 o mesmo trabalho foi editada por Breitkopf e Hartel. Dois de seus motetos, "Domine, ne irascaris" e "Civitas sancti tui", com textos ingleses, fazem parte do repertório da maioria das catedrais Anglicanas.


Video: http://www.youtube.com/watch?v=30UfjAucDsA



Nome:Luiz Henrique Teixeira
Série:2°B Nº18

Anônimo disse...

Giovanni Pierluigi da Palestrina tornou-se o mais célebre compositor de música sacra do século XVI e marcou, com sua obra, a música polifônica do Renascimento e da Contra-Reforma.É um dos melhores compositores do estilo coral polifônico. Suas linhas vocais longas e sinuosas parecem se entrelaçar, arrebatando a todos para uma atmosfera de oração Um fato importante sobre o compositor é que ele é o autor de considerável obra - mais de 100 missas, 140 madrigais e 68 motetos entre outros. O estilo de Palestrina nos remete às grandes catedrais; aos períodos em que a Igreja reinava soberana ditando o destino dos homens. Sua música é poderosa e enlevante.Suas principais obras são

Video:http://www.youtube.com/watch?v=y28ZRYF9Q-4

Nasceu em Londres em 1659. Escreveu para a igreja e para a corte. Mas seu grande amor era o teatro. Nos últimos 15 anos de sua vida, escreveu 12 obras para o teatro, de grande escala, música incidental para mais de 40 peças e centenas de danças e canções, como "Music for a While" da peça "Aedipus". Suas canções adequam a música às palavras de forma tão perfeita que ambas parecem ter sempre existido juntas.Faleceu em 21 de novembro de 1695.
Suas obras mais importantes são:
Dido and Aeneas,The Fairy Queen

Video: http://www.youtube.com/watch?v=nXNeGw-TSws

Nome : Maria Izabel nº 22

Claudia Lobato disse...

até aqui corrigido!

anne kelley disse...

William Byrd 1542/ 1623

Compositor inglês, nasceu em Londres (?) em 1542 ou em 1543 e faleceu a 4 de julho de 1623 em Stondon Massey, Essex. Filho de um músico, teve como professor Thomas Tallis. Tornou-se organista da Lincoln Cathedral em 1563, cantor do coro da Capela Real em 1570, e em 1575 recebeu o título de Organista da Capela Reall.
Ligada à tradição polifônica do século XVI, sua obra se destaca graças às sua variações para o virginal, canções, motetos e hinos. É o mais representativo dos compositores da Renascença inglesa. É considerado o maior compositor de contraponto de sua época na Inglaterra, chamado de "o Palestrina Inglês". Foi o primeiro compositor inglês a escrever madrigais, forma de composição originária na Itália no século XIII e que alcançou maior desenvolvimento nas mãos dos mestres do século XVI. Organista e exímio executante do virginal, Byrd escreveu para este último, grande número de composições, muitas das quais ainda são tocadas hoje em dia.
Byrd também exerceu importante atividade no ramo das edições. Em 1607 publicou uma coleção de gradualia para um ano eclesiástico inteiro. Uma moderna edição deste álbum foi publicada em 1899. Em 1611 aparece a primeira edição de "Psalms, Songs and Sonnets, Some Solemn, Others Joyful, Framed to the Life of the Words, Fit for Voyces or Viols, etc." Provavelmente neste mesmo ano é publicada "Parthenia", uma coleção de peças para o virginal, que compreende 21 composições de Byrd, Bull e Gibbons. Três missas - para três, quatro e cinco vozes, respectivamente - pertencem ao melhor período de Byrd como compositor. A missa para cinco vozes foi reeditada pela Musical Antiquarian Society em 1841, e em 1899 o mesmo trabalho foi editada por Breitkopf e Hartel. Dois de seus motetos, "Domine, ne irascaris" e "Civitas sancti tui", com textos ingleses, fazem parte do repertório da maioria das catedrais Anglicanas.

http://www.youtube.com/watch?v=BY8tC_03J24&feature=related



NOME: Anne kelley R. Colli N°02
2°B

Claudia Lobato disse...

fim enfim!